28/02/2020 11:13 - Por: Roberto Tonelotto

Pesquisadores triestinos estudam o DNA dos friulanos no mundo

COMUNICADO

A coordenação do projeto GENI FRIULANI NEL MONDO comunica que por segurança de todos os envolvidos na pesquisa, dado ao surto de coronavírus a nível mundial e em comum acordo com os pesquisadores italianos e brasileiros, decidiu adiar sua realização. 

A nova data será no período de 16 de novembro a 20 de dezembro do corrente ano. 

Pede-se a compreensão de todos e espera-se contar com sua colaboração para o êxito deste projeto na nova data.

--

A região centro-serra, no decorrer de seu desenvolvimento foi povoada por imigrantes oriundos da região autônoma do Friuli Venezia Giulia, Itália.

De 16 a 21 de abril o município de Sobradinho receberá uma equipe de renomados pesquisadores da Universidade de Trieste, Itália, para realizar uma pesquisa sobre o genoma dos descendentes friulanos. Estes estão convidados a participar de um teste cuja metodologia da pesquisa é não invasiva. Serão coletados dados auditivos, do paladar, do olfato, da saliva para descobrir o DNA de cada indivíduo e comparar com o DNA dos friulanos lá residentes. É uma pesquisa que segue princípios e padrões éticos com um método atual que pode apontar a tendência para a ocorrência de determinadas enfermidades. Busca estudar doenças com pré-disposição genética e multifatorial, como surdez e distúrbios cardiovasculares, influenciados ou não pelo ambiente. Vale lembrar que a cidade de Trieste foi escolhida a capital europeia da Ciência no ano de 2020.

No Brasil, esta pesquisa será realizada nos Municípios de Ivorá, Santa Maria, Jaguari e Sobradinho.

A equipe de pesquisadores estará no Brasil para estudar o genoma dos friulanos, analisar as mudanças ocorridas e as influências ambientais e do meio em que vivem. Com o título: Geni friulani nel mondo o projeto é coordenado por Giorgia Girotto, pesquisadora sobre genética da Universidade de Trieste e do Instituto Pediátrico Burlo Garófolo (IRCCS), do qual participarão uma equipe de cardiologistas e de odontólogos, coordenados pelos professores Gianfranco Sinagra e Milena Cadenaro. O IRCCS, é um hospital infantil localizado em Trieste, sendo o 1º instituto na Itália e o 28º no mundo em qualidade de pesquisa científica.

No Brasil a Universidade Federal do Rio Grande do Sul e a Universidade Federal de Santa Maria fazem parte do projeto de pesquisa do genoma dos descendentes friulanos no Brasil.

O projeto tem a colaboração na área de comunicação de Sissa Medialab e do Ente Friuli Nel Mondo

Esta é uma entidade não governamental que colocou em contato o grupo de pesquisadores com os representantes das entidades Fogolârs furlans no Brasil.

Já para a pesquisa sobre surdez a equipe conta com a “Associazione Italiana Liberi di Sentire Onlus” a qual financia e fornece sofisticados instrumentos para a coleta de dados.

Os resultados da pesquisa genômica é de suma importância para os descendentes e para o município. Pois tanto os participantes quanto o município receberão um relatório com dados da pesquisa indicando as possíveis tendências patológicas, as quais servem também para orientar possíveis ou necessárias políticas públicas em saúde.

O município de Sobradinho, representado pelo Secretário Ivan Trevisan, está engajado e acompanha o processo de organização do evento, o qual cederá o espaço para a equipe de pesquisadores instalar os equipamentos e receber a população objeto da pesquisa.

A Associação Fogolâr Friulano de Sobradinho convida todos os descendentes a participarem da pesquisa, pois é de suma importância receber uma equipe de renomados cientistas da cidade que neste ano foi escolhida a capital europeia da Ciência, e será uma grande satisfação recebê-los.

As famílias com sobrenome como Anater, Aita, Barrachini, Beltrame, Bertolo, Bertolini, Bisi - Bizzi, Boezio, Boccolon, Bortolotto, Brutti, Brizotto, Brum, Bressa, Bressan, Brondani, Calderini, Cargnelutti, Casani, Casassola, Castelarin, Cecco, Ceccon, Cerezer, Coconi, Coderini, Colovini, Coluzzi, Comoretto, Corazza, Copetti, Cossettin, Cracogna, Da Ros, Dal Ben, Damian, Daroncho, Dassi, Dazzi,  Degliuomini, Del Fabro, Del Rosso, Della Mea, De Nardi, Dona,  Dreon, Fabiani, Fagan, Fantoni, Felice, Filipetto, Forgiarini, Gargnelutti, Giacomelli, Goi, Golin, Guerra, Gubbiani, Lenuzzo (a) , Linazzi, Londero, Luchese, Macagnan, Maccuglia, Maieron, Marini, Marion, Marzona, Mascarini, Mazzutti, Meneghel, Missao, Monte, Mori, Moro, Nicoloso, Palese, Papis, Pascotini, Pase, Pasqualini, Patat, Peccin, Pes, Pesamosca, Piccinin,  Piuzzi, Pizzinato, Pizzutti, Pontel, Pontelli, Prodorutti, Puntel, Pujattti, Redin (Rezzin), Rigo, Rizzi,  Sabiduzzi, Saccilotto, Sangoi, Scariot, Serafini, Sfalcin, Silvelo, Simeone, Simonetti, Sonego, Sfreddo, Stipano, Stroilli, Tassotti, Tabotto, Tofolli Culau, Tolazzi, Tondo, Tondolo, Tonel, Tramontini, Turco, Unfer, Valvassori, Venchiarutti, Venturini, Zancan, Zanella, Zavagna, Zerbinato, dentre outros, que não estejam nesta relação podem fazer parte da pesquisa.

Outros sobrenomes, embora não estejam diretamente ligados a origem, porém seus nonos ou bisnonos tenham ligação com o Friuli, ou são parentes próximos ou distantes, também estão convidados a participar.

Outras informações podem ser solicitadas pelo email: fogolarsobradinho@hotmail.com.